Goiânia Esporte Clube

O Goiânia Esporte Clube (conhecido apenas por Goiânia e cujo acrônimo é GEC) é um clube de futebol brasileiro da cidade de Goiânia (GO). O clube foi fundado oficialmente em 27 de maio de 1938. É um dos times mais tradicionais e importantes do estado de Goiás, sendo o segundo time fundado na capital, atrás somente do Atlético Goianiense que foi fundado no ano anterior.

Tem como principal apelido a alcunha de Galo, em alusão ao seu mascote. O seu uniforme é camisa com listras verticais pretas e brancas, calção branco e meias pretas, o que lhe rendeu outro apelido, “Alvinegro”.

Goiânia Esporte Clube

Seu principal rival no futebol é o Atlético, com quem mantém o primeiro clássico do futebol goianiense e umas das maiores rivalidades do Centro-Oeste.

Ao longo de sua história no futebol, o Goiânia possui 14 títulos do Campeonato Goiano profissional, incluindo um pentacampeonato entre 1950 e 1954. Foi o primeiro Clube goiano a ganhar uma taça à nível regional, a Copa Brasil Central de 1967, e o primeiro clube a ganhar um campeonato invicto. É um dos quatro clubes do futebol da cidade de Goiânia que já participou da principal divisão do Campeonato Brasileiro, em quatro edições. Participou ainda por duas vezes da Copa do Brasil.

Goiânia Esporte Clube Fundação

Em 27 de maio de 1938, um grupo se reuniu para fundar uma agremiação esportiva, a qual passou a denominar-se Corintians Goiano Futebol Clube. Nesta ocasião, foi eleito presidente Ademar Martins Vieira, vice Walfredo de Campos Maia, 1º secretário Joaquim de Souza, 2º secretário Acari Brandão, 1º tesoureiro Joaquim Veiga Jardim, 2º tesoureiro Reinaldo Baiochi e diretor de esportes Carlos Barsi. A comissão de jogos e festas ficou a cargo de José Henrique da Veiga Jardim, João Saadi e João Teixeira Neto, enquanto a comissão de propaganda ficou com Jayme Camara, Frederico Medeiros e Pedro Osorio. Os sócios honorários foram Venerando de Freitas Borges, João Neddermeyer e Jorge Carneiro. Foram escolhidos como presidentes de honra Pedro Ludovico Teixeira, Coimbra Bueno e João Teixeira Alves Júnior[5].

Os membros do clube estavam com grandes expectativas em 1938, e o time correspondeu. Os Camisas pretas, como a mídia o chamava, ganhou o primeiro clássico contra o Atlético pelo placar de 1 a 0, em plena campinas, e ainda disputou seu primeiro campeonato, a Taça Agência Ford, contra a equipe do Anápolis Sport Club.

Já possuindo vários prestígios no estado, o Atlético acaba desafiando o Corintians para a disputa de um campeonato da cidade, que ficou conhecido como Citadino de Goiânia[8]. Apesar dos erros no terceiro jogo, os dois times foram declarados campeões.

A temporada seguinte seria marcante para a história do alvinegro goiano. O clube conquistou o Citadino de Goiânia de 1939, recebendo a Taça Vanguarda[10]. Também foi o ano em que o Corintians Goiano Futebol Clube retornou o nome para Goiânia Esporte Clube por escolha de seus associados, entre eles Pedro Ludovico Teixeira[11]. A agremiação nessa época, foi uma das responsáveis pela criação da Liga Goiana de Esportes (durou poucos meses) e da Federação Goiana de Desportos (atual FGF).

Goiânia Esporte Clube – retorno do nome original

No dia 27 de maio de 1939, o Corintians Goiano Futebol Clube retorna o nome para Goiânia Esporte Clube por escolha de seus associados, entre eles Pedro Ludovico Teixeira. O clube nessa época, foi um dos responsáveis pela criação da Liga Goiana de Esportes (durou poucos meses) e da Federação Goiana de Desportos (atual FGF).

1945 a 1960: dos anos dourados ao pentacampeonato:  Nesse período o Goiânia tinha uma equipe quase imbatível. Conseguiu a façanha de ganhar um bicampeonato (45-46), um tricampeonato (58-60) e um pentacampeonato (50-54), sendo que em 1953 e 1954 de maneira invicta. Seu principal jogador na época, Foca, foi artilheiro três vezes (51-53).

1961 a 1974: a espera e o último título: Apesar do clube ter conquistado a Copa Brasil Central invicto em 1967. Esse período não foi um dos melhores. O Goiânia levantou um título goiano após oito anos e acabou vendo surgir duas novas potências do futebol goiano: Goiás e Vila Nova. Durante esse período, conseguiu conquistar apenas dois Campeonatos estaduais, e ainda viu sua torcida diminuir.

1975 a 1997: maldição, coadjuvante e rebaixamento estadual: Nesse período o Goiânia foi apenas um mero coadjuvante no futebol. Em âmbito nacional disputou quatro brasileiros série A, quatro brasileiros série B, um brasileiro série C e ainda participou de uma edição da Copa do Brasil, não obtendo muito sucesso em nenhuma dessas competições. Já a nível regional o clube acabou perdendo muito espaço. Era superado por vários times do interior. Conseguiu chegar a final em poucas oportunidades. E não conseguiu levantar nenhum caneco.

Seu pior momento foi no Campeonato Goiano de 1997. O clube conseguiu ser o primeiro time entre os quatro grandes a cair para a segundona do estadual, após um primeiro turno horrível e um segundo turno mediano, o time não conseguiu se aliviar da zona. A partir daquele momento uma das equipes mais tradicionais de Goiás estava fadada na divisão de acesso.

1998 a 2003: super coadjuvante e novo rebaixamento:  Em 1998, o clube conseguiu retornar para a divisão principal do goiano com dignidade. Foi campeão invicto da segundona. Porém suas participações no goiano eram pífias. Montava um time razoável com o intuito de apenas disputar o campeonato e tentar ficar em alguma colocação mediana. Não tinha uma equipe muito qualificada e quase sempre perdia seus clássicos contra o Goiás, o Vila e o Atlético. No âmbito nacional, o clube disputou cinco brasileiros série C, sendo que em 1999 em um jogo muito espetacular ganhou do Fluminense de virada por 4 a 3. Ainda disputou a Copa do Brasil, sendo eliminado na segunda fase pelo Corinthians.

Em 2003 foi rebaixado de novo para a segunda divisão junto com seu arquirrival Atlético. O clube acabou ficando em penúltimo no Goianão de 2003.

2004 a 2007: vai e vem: Em 2004 o clube disputou a segundona. Parecia que seria campeão. Chegou a vencer o América de Morrinhos por 10 a 0. No entanto terminou em terceiro colocado e conseguiu ir para a primeira divisão graças a desistência do Novo Horizonte.

Em 2005 foi rebaixado de novo para a segundona. Terminou o campeonato em último. Em 2006 voltou para a elite. Foi campeão da segunda divisão perdendo apenas um jogo. Na última partida do campeonato aplicou uma goleada de 9 a 1 no Iporá. Disputando o Campeonato Goiano de 2007, o clube decepcionou sua torcida mais uma vez. Terminou em último.

2008 a 2017: crise e vergonha: Nesse período o time disputou somente a Segunda Divisão, conseguindo fazer apenas campanhas razoáveis. Terminando sempre em posições medianas. Em 2014 quase foi rebaixado para a terceira divisão. Porém venceu o Rio Verde por 1 a 0 e conseguiu permanecer por um ponto. Em 2015 chegou ao quadrangular final da segunda divisão do Goianão, mas não conseguiu a promoção.

2018 – A Volta: Após 11 anos na Divisão de Acesso, o Goiânia consegue o retorno e elite do futebol goiano.

Horário de Funcionamento Goiânia Esporte Clube

  • Segunda a Sexta das 08h às 16h30

Onde Fica, Endereço e Telefone Goiânia Esporte Clube

  • R. Teotônio Viléla, 5 – Goiânia – GO

  • Telefone: (62) 3208-0900

Outras informações e site

Mapa de localização

Goiânia Esporte Clube
5 (100%) 1 voto





Deixe seu comentário